A troca de óleo é um procedimento fundamental para a manutenção de um veículo. Além de ser responsável pela lubrificação, o óleo atua na prevenção do desgaste, da oxidação e da corrosão de peças do motor.

Assim, auxilia na manutenção do carro e evita prejuízos para o motorista. Mas, para isso, é preciso realizar esse procedimento periodicamente e da maneira correta. Então, confira algumas dicas de como realizar a troca de óleo corretamente.

Troca de óleo: 5 dicas de ouro para sua oficina

Quando fazer a troca de óleo nos veículos de seus clientes?

Como visto acima, a troca de óleo é um procedimento importante para a manutenção e bom funcionamento do veículo.  Mas, afinal, como saber qual é a hora certa de trocar o óleo do carro? Abaixo, listamos alguns processos que podem ajudar. Veja só!

Verifique o nível de óleo no veículo

O primeiro passo é verificar se o nível de óleo está entre o mínimo e o máximo indicados no medidor. Se o marcador indicar que está abaixo do mínimo, é a hora de realizar a troca de óleo.

Outro cuidado importante é sobre o excesso de lubrificante. Isso porque se ele estiver acima do máximo, pode indicar aumento de pressão no cárter, que também prejudica o funcionamento do veículo.

Na hora de verificar o nível do óleo, preste atenção também na cor e textura do lubrificante. Ao retirar a vareta, passe um pano ou papel toalha para observar a coloração: se estiver preto ou marrom, significa que está na hora de trocá-lo.

O mesmo vale para a textura, se estiver muito espessa é sinal de que está na hora de realizar a troca de óleo.

Fique atento ao filtro de óleo no motor

Além da troca de óleo também é preciso atentar-se à necessidade de troca do filtro. Isso porque boa parte da sujeira do produto acaba ficando depositada ali.

Então, o filtro pode ficar sobrecarregado se não for trocado no prazo. E isso dificulta a passagem do lubrificante. 

Respeite o prazo do fabricante

Muitas montadoras já indicam os prazos e intervalos para realizar a troca de óleo. No manual do proprietário do veículo, além do intervalo recomendado, também é indicado o tipo de óleo mais adequado e a quantidade a ser usada.

Geralmente, algumas montadoras indicam um intervalo de 5.000 ou 10.000 km rodados para realizar a troca. Mas se o carro for usado com muita frequência é importante verificar a necessidade de realizar o procedimento em intervalos menores.

5 dicas para troca de óleo

A falta de lubrificação pode causar problemas sérios para o motorista. Dentre eles, a redução da performance do automóvel, aumento no consumo de combustível e, em casos mais extremos, a fundição do motor.

É por essa razão que realizar a troca de óleo no prazo certo é fundamental para um bom atendimento. Para isso, reunimos aqui 5 dicas para realizar o procedimento da maneira correta.

#1 Substitua o óleo usado por um novo

Na troca de óleo é preciso evitar que o produto novo seja misturado com o usado. Isso porque o resultado pode ser um lubrificante bem diferente do original, comprometendo a eficácia do produto e o desempenho do motor. Por isso, é fundamental trocar o óleo do cárter por um lubrificante novo. 

Entretanto, caso seja inevitável completar o óleo, o ideal é que utilize produtos da mesma marca e que contenham a mesma base, viscosidade e grau API e SAE. Dessa forma, você evita problemas no funcionamento do motor.

#2 Atente-se ao filtro do óleo do motor

Como falamos acima, é muito importante verificar a qualidade do filtro durante o processo de troca de óleo. Isso porque o filtro sempre conserva um volume residual de óleo oxidado, que contamina o lubrificante novo e prejudica o funcionamento do veículo.

É por essa razão que alguns especialistas recomendam trocar o óleo e o filtro simultaneamente. Assim é possível evitar que algumas impurezas presentes no filtro vão para dentro do motor.

#3 Evite que o lubrificante caia no motor

É preciso fazer a troca de óleo com cuidado e atenção para não deixar que o líquido respingue no motor. Numa situação como essa, o óleo pode afetar áreas da peça, como as velas, câmera de combustão e catalisador.

Isso pode causar danos sérios a esses componentes e, consequentemente, prejudicar o funcionamento do veículo.

#4 Garanta que o bujão esteja bem fechado

O bujão é o nome dado ao parafuso que fecha o dreno do cárter de óleo. Para evitar vazamentos após a troca de óleo, é fundamental que ele seja parafusado corretamente, nem com força em excesso nem frouxo demais.

#5 Não use aditivos

A maioria dos óleos de qualidade disponíveis no mercado já possuem os aditivos necessários na sua composição. Além disso, o tipo de lubrificante indicado pelo fabricante no manual do veículo já atende a todas as necessidades do motor.

Então, não é preciso incluir aditivos no óleo novo. Inclusive, alguns produtos desse tipo podem até comprometer as propriedades do lubrificante, prejudicando o desempenho do veículo.

Curso de troca de óleo

Como visto acima, é preciso conhecimento técnico para realizar a troca de óleo da maneira correta. Por isso é muito importante buscar uma capacitação na área para realizar a função da melhor forma possível.

Então, se quer saber mais sobre o assunto, não deixe de conhecer o nosso curso: Troca de Óleo e Revisão Automotiva. Nele, você aprenderá sobre os check-ups dos principais itens do veículo, como motor, rodagem, suspensão, freio, entre outros.

Com aulas práticas, você aprenderá qual é o passo a passo da troca de óleo e revisão, com simulação de atendimento ao cliente e argumentações técnicas.

Além disso, poderá aprender mais sobre os princípios do motor a combustão, óleo lubrificante e suas propriedades, filtro de ar e substituição de óleo e filtros do motor. Clique aqui para saber mais sobre o curso.

Embora a troca de óleo seja uma tarefa simples, é preciso conhecimento na área para realizar o serviço corretamente. É por isso que um bom curso profissionalizante é fundamental para que você ofereça um serviço de qualidade e conquiste o cliente.