Para conseguir vender e fidelizar clientes em uma loja de autopeças é fundamental conhecer bem os componentes dos veículos. O disco de freio, por exemplo, costuma gerar muitas dúvidas. 

Como esse assunto é importante para o setor, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre essa peça. Assim, ficará mais fácil entender a necessidade de cada cliente. Confira!

Afinal, o que é o disco de freio?

Como o nome sugere, o disco de freio é uma peça que fica acoplada ao cubo da roda de um carro, que age em conjunto com as pastilhas. No Brasil, a maioria dos automóveis saem da fábrica com freio a disco nas rodas dianteiras. 

Geralmente, a peça é feita de ferro fundido, metal ou cerâmica. Isso porque o material deve ser resistente às altas temperaturas produzidas pelo atrito durante a frenagem. 

Essa peça compõe o sistema de freios do carro junto com as pastilhas, e é essencial para um processo de direção segura. Portanto, os cuidados com esse sistema devem ser redobrados. 

Aliás, é importante saber que, se não for avaliado de tempos em tempos, o disco de freio pode causar graves desgastes. Por isso deve passar pela manutenção correta para garantir o bom rendimento de todo o sistema. 

Como funciona o disco de freio?

Os discos de freio acompanham o movimento da roda e contam com uma pinça flutuante com um êmbolo, que envolvem o disco com duas pastilhas.

O motorista ao pisar no freio, por meio de um sistema hidráulico, faz com que o êmbolo que está na pinça force as pastilhas contra o disco fazendo uma certa pressão. Para que ocorra a ação da frenagem, os freios precisam transformar a energia cinética em calor com o atrito entre discos e pastilhas

A dirigibilidade que os discos de freio oferecem garante maior segurança aos motoristas quando comparados ao freio a tambor e também oferecendo mais aderência ao pneu com a superfície, principalmente quando a pista está molhada. 

Isso acontece porque a pinça distribui a pressão aplicada no disco e dissipa melhor a temperatura causada pela energia durante a frenagem, devido à exposição ao fluxo de ar.

Outras vantagens é que não acumula sujeira, não aumenta o curso do pedal de freio devido à dilatação do disco e possui maior facilidade de manutenção.

O sistema de pinça flutuante facilita o resfriamento, evitando que o calor cause problemas. 

Outra vantagem dos discos de freio é o tempo de vida prolongado e a facilidade de troca das peças. Isso reduz os custos com a manutenção, principalmente em veículos maiores e mais pesados. 

Além disso, o disco de freio torna o toque do pedal mais macio, principalmente em veículos esportivos. 

Conheça os tipos de discos de freio

Agora que você já sabe o que é e como funciona o disco de freio, veja quais são os principais tipos disponíveis no mercado. É importante saber que os modelos são classificados de acordo com a construção. Por exemplo:  

Discos de freio sólidos: esse disco é um dos mais baratos e antigos, já que não possui nenhum tipo de ranhura para facilitar o resfriamento. Isso pode reduzir a sua eficiência e, por isso, são mais usados em carros compactos e leves. 

Essa configuração também é utilizada nos eixos dianteiros dos compactos 1.0 e no eixo traseiro de carros maiores.

Discos de freio perfurados: esse tipo de peça possui furos ao longo de sua superfície. Isso aumenta o atrito com a pastilha, favorecendo a refrigeração. Os furos também permitem o escoamento de água da chuva rapidamente.

Discos de freios estriados: esses discos possuem ranhuras que possuem as mesmas funções dos furos dos discos perfurados. 

Discos de freio ventilados: o disco ventilado é composto por dois discos mais finos unidos por uma câmara interna. Essa configuração tem a função de proporcionar maior ventilação, resfriando o sistema com mais rapidez.

Além disso, existem no mercado tipos de discos de freio combinados entre os tipos acima. Por exemplo: discos de freio ventilados e perfurados ou perfurados e estriados.

Quando fazer a manutenção?

Com o tempo, o disco de freio tende a se desgastar devido ao atrito. Isso pode comprometer a eficiência e a segurança do veículo e seus ocupantes. 

No entanto, muitos motoristas não sabem ou ignoram o período de manutenção. Consequentemente, pode ser necessário trocar mais peças do veículo devido ao desgaste. 

Por isso, é importante informar o cliente sobre alguns sinais que podem indicar problemas no sistema de frenagem. Veja só!

Atentar-se à vibração do veículo

Um disco de freio muito gasto pode causar trepidações, fazendo o carro vibrar nas frenagens. Isso porque, com o tempo, os desgastes podem causar deformidades na estrutura do disco.

Avaliar a dificuldade para frear

Com o tempo, o desgaste pode impedir que as pastilhas de freio tenham um contato perfeito com o disco, o que dificulta a frenagem. Dessa forma, o tempo de ação dos freios pode demorar para acontecer. Inclusive, em alguns casos é necessário até aplicar mais força no pedal. 

Respeitar os quilômetros rodados

Recomenda-se que a cada 40 mil quilômetros rodados seja feita uma avaliação do sistema de freio. Com isso é possível verificar a necessidade de possíveis substituições. 

Geralmente, após essa quilometragem os discos terão atingido os limites de uso especificados pelo fabricante. 

Dicas valiosas para fidelizar clientes

Para expandir as vendas em uma loja de autopeças é fundamental fidelizar os clientes. Para atingir esse objetivo, vale a pena investir em um atendimento completo, o que inclui boas orientações à clientela.

Então, você pode recomendar boas práticas para diminuir o desgaste da superfície do disco do freio. Abaixo, listamos 3 dicas valiosas para você compartilhar com seus clientes. Confira!

Importância das revisões 

Uma das dicas mais importantes para seus clientes é fazer as revisões e manutenções periódicas do sistema de freios.

Os discos possuem uma medida de espessura mínima que é especificada pelo fabricante, caso essa medida seja atingida, deve-se realizar a substituição dos discos. Sempre consulte as especificações indicadas pelo fabricante.

O conjunto de freio (disco e pastilhas) é um dos conjuntos mais importantes do veículo. Logo, os cuidados devem ser redobrados. 

O disco de freio em constante atrito causa um grande desgaste, quando não recebe os cuidados preventivos. Para manter um bom rendimento de todo o sistema de freio, é necessário fazer manutenções preventivas. Então fique atento.

As pastilhas de freio possuem vida útil de 25 a 40 mil quilômetros rodados, em média, dependendo do tipo de veículo. Nunca deixe para fazer uma revisão em cima da hora!

Atenção à forma de condução  

A segunda dica está relacionada à forma de condução do veículo. Então, explique para os clientes que essa é a principal causa de aumento no desgaste do sistema de freios. 

Por essa razão é de extrema importância dirigir de forma consciente para aumentar a vida útil das peças. Além disso, essa prática garante maior segurança ao motorista e passageiros e ainda aumenta a economia. 

Também vale a pena informar os clientes sobre a importância de evitar frenagens bruscas, prolongadas ou contínuas.

Peças de qualidade 

Por fim, é fundamental que você informe o cliente sobre a importância do uso de produtos e peças de boa procedência. Dessa forma, é possível melhorar a qualidade do serviço e garantir a satisfação do cliente.

Aprenda mais com a Escola do Mecânico

Como visto acima, as peças dos automóveis possuem particularidades que devem ser consideradas pelos profissionais ao fazer uma manutenção ou atendimento. 

Então, se você deseja aprender mais sobre mecânica, conte com a Escola do Mecânico!

Com nossos cursos profissionalizantes, é possível aprimorar técnicas e se preparar para atuar em diferentes áreas do setor. Clique aqui e conheça mais sobre os nossos cursos! 

Além de toda nossa gama de cursos, você também pode contar com a gente para encontrar ou mudar de emprego na área! Acesse nosso site Emprega Mecânico, cadastre-se e confira as vagas!