A limpeza do bico injetor é um assunto bastante polêmico entre profissionais da área de mecânica. Isso porque muitos acreditam que o dispositivo não precisa de uma limpeza interna para funcionar corretamente.

Mas, afinal, a limpeza é realmente necessária? Para entender o porquê dessa dúvida, reunimos aqui algumas informações importantes sobre o funcionamento do bico injetor. Acompanhe!

Limpar o bico injetor é necessário?

Normalmente, um combustível de boa qualidade faz a limpeza da parte interna do bico injetor. Por essa razão muitos acreditam que apenas a higienização da parte externa é necessária.

No entanto, algumas situações podem causar o acúmulo de sujeira nas válvulas injetoras e, consequentemente, é preciso realizar a limpeza interna. Uma das causas é o abastecimento do veículo com combustíveis de baixa qualidade.

Isso acontece porque muitos postos de gasolina adulteram as bombas de combustível, deixando o motorista sujeito ao abastecimento com misturas químicas que danificam o motor.

Além da utilização do combustível ruim, outros problemas, como o consumo elevado de óleo, também podem causar acúmulo de sujeira na válvula injetora de combustível. Nesses casos, realizar a limpeza interna do bico injetor também é importante.

Quando realizar a limpeza do bico injetor

Como visto acima, em determinadas situações a limpeza do bico injetor pode surtir bons resultados. Na maioria dos casos em que a higienização for necessária, o motorista sentirá uma restrição de fluxo de combustível pelos injetores.

Dentre os sinais de mau funcionamento do bico injetor estão: falhas em aceleração, aumento do consumo de combustível e oscilações de rotação, por exemplo. Em casos mais extremos, a lâmpada de diagnóstico no painel do veículo pode acender indicando falha no sistema de injeção eletrônica.

No entanto, antes de optar pela limpeza é preciso fazer um diagnóstico detalhado para entender se a limpeza é realmente necessária. Para isso, existe uma quantidade específica de testes que vão anteceder a higienização em si e garantir a segurança do carro.

O primeiro passo é fazer uma análise do bico injetor com um scanner próprio. Esse diagnóstico mostrará se há falhas em outros sensores ou atuadores. O teste de estanqueidade também é necessário para verificar a existência de possíveis vazamento no bico injetor.

Outro teste comum é o do leque, que tem como objetivo verificar a qualidade da pulverização do combustível. Isso porque quando há uma obstrução nas válvulas, a formação padrão em leque é afetada, o que pode ser um sinal do problema.

Além disso, é preciso fazer um teste de resistência das válvulas internas e injetoras. Se os valores apresentados no multímetro estiverem dentro do esperado, é sinal de que a bobina elétrica está em perfeito estado.

A partir dos resultados desses testes será definido se o bico injetor precisa de uma limpeza interna ou não.

Como limpar o bico injetor corretamente?

O bico injetor é uma peça extremamente delicada, por isso a limpeza deve ser feita com cautela. Existem duas formas de realizar a higienização das válvulas injetoras: através de um ultrassom ou através da aplicação de um produto específico.

No primeiro caso, a caixa do filtro de ar, a mangueira e os chicotes são removidos. Em seguida, as válvulas também são retiradas e, posicionadas na flauta da máquina de limpeza de bico.

Depois disso, as válvulas são colocadas em uma cuba com a solução de limpeza através do ultrassom, que fará com que as partículas se soltem devido à alta frequência das vibrações.

Após a utilização do ultrassom, o veículo precisa passar pelo teste de estanqueidade. Em seguida, o teste de equalização é realizado, com a função de medir a velocidade de abertura e fechamento da válvula.

Já na segunda forma de limpeza, o produto específico é aplicado na flauta do carro e, em seguida, o motor é ligado. Esse produto fará com que a sujeira acumulada seja diluída e eliminada pela própria válvula após a abertura.

Aumentando a durabilidade do bico injetor

Normalmente, os carros alertam sobre um determinado problema. No caso do bico injetor, uma luz com um símbolo de injeção será acesa no painel. Contudo, esse problema pode ser evitado com alguns cuidados simples. Abaixo, listamos 3. Veja só!

Realize a troca de óleo

O óleo novo serve como um lubrificante que limpa o motor e facilita o movimento interno das peças. Além disso, ele retira todos os fragmentos metálicos microscópicos que são gerados através do atrito entre as peças.

Por essa razão a troca de óleo deve ser feita no prazo estabelecido pelas montadoras para não expor o veículo a possíveis problemas. Além disso, é importante que ele seja substituído por um produto com as mesmas especificações, já que cada motor funciona como um lubrificante apropriado para ele.

Use combustível aditivado

A gasolina aditivada possui diversos outros componentes que auxiliam na limpeza interna das partes do automóvel, incluindo o bico injetor. Com isso, a queima de combustível e do ar será sempre completa, sem deixar resíduos.

Além disso, lembre-se de procurar por postos de qualidade, para que o veículo não corra o risco de ser abastecido por combustíveis adulterados.

Faça a troca de filtros

O filtro de ar, de combustível e de óleo são responsáveis pela proteção do motor, uma vez que evitam a entrada de impurezas. Por essa razão é preciso realizar a troca dessas peças dentro do prazo indicado pela montadora.

Conclusão

O bico injetor é fundamental no sistema de injeção eletrônica, uma vez que é responsável por pulverizar corretamente o combustível na câmara de combustão.

Por isso é essencial que a limpeza seja feita com cuidado e respeitando todos os testes necessários. Assim, você garante maior segurança para o veículo.