Se você já trabalha em uma oficina mecânica, provavelmente já sabe como funciona uma junta de cabeçote. Mas, e quando o problema é junta do cabeçote queimada, você já sabe como resolver? 

Para saber mais sobre esse tipo de serviço, reunimos aqui algumas informações importantes. Continue a leitura! 

Junta do cabeçote queimada? Saiba o que fazer!

A importância da junta do cabeçote

A junta do cabeçote é uma peça responsável por unir o cabeçote com o bloco do motor. Dessa forma, ela assegura a estanqueidade da câmara de combustão, mantendo a compressão da mistura ar e combustível nos cilindros presentes no bloco. 

Além disso, essa peça tem papel fundamental no funcionamento do veículo, pois auxilia na continuidade dos circuitos de água de refrigeração do motor. Assim, ela também ajuda a proteger ambas as partes metálicas do desgaste e do empenamento. 

Mas para que a junta do cabeçote funcione da melhor maneira possível, o material precisa estar em condições ideais de impedir a penetração de líquidos nos circuitos. 

Se, por acaso, ocorrer algum problema na junta, é necessário fazer o reparo o quanto antes. Afinal, isso pode resultar em junta do cabeçote queimada ou quebrada. 

Como saber se a junta do cabeçote está queimada

Identificar possíveis danos na junta do cabeçote pode ser uma tarefa complicada. Mas quando o problema é junta do cabeçote queimada os sinais são simples e fáceis de serem analisados. 

Isso porque quando a junta do cabeçote queima, ela perde a capacidade de vedar a tubulação de líquido de arrefecimento. Isso pode fazer com que entre água em locais como o cilindro, onde o combustível é queimado. 

Um dos sinais mais comuns que pode indicar junta do cabeçote queimada é falha ou sobreaquecimento do motor. A necessidade de adicionar o líquido de arrefecimento com frequência também é outro sintoma de que a junta do cabeçote pode estar queimada. 

Como falamos acima, o vazamento de água no cilindro pode ser uma das principais causas da queima da junta do cabeçote, que pode ser percebido pelo escape excessivo de fumaça. Isso porque, quando o líquido vaza e cai nos cilindros quentes, o processo de combustão rapidamente cria vapor. 

Mas, como ter certeza?

Existem algumas maneiras de confirmar se o problema é junta do cabeçote queimada. Porém, o método mais indicado e que garante certeza do diagnóstico é usar um testador de vazamento de combustão. 

Esse testador é um dispositivo que detecta os gases de escape de líquido de arrefecimento. Por isso, consegue identificar com precisão qualquer problema que a junta do cabeçote possa apresentar. 

O testador nada mais é do que uma peça que se encaixa no radiador, com a tampa do radiador fechada. Após o encaixe, é preciso preencher com um líquido azul para dar início ao teste. 

Em seguida, é necessário dar partida no veículo e deixá-lo funcionar por alguns minutos. Se o fluido colocado ficar amarelo, é um indicativo de que o problema está na junta do cabeçote. 

Como fazer a troca da junta do cabeçote?

Quando o superaquecimento é percebido, há três soluções para o problema: a retífica do cabeçote, retífica do bloco ou a troca da junta do cabeçote queimada por uma nova. 

Assim como na maioria dos serviços de mecânica, esse último processo pode variar de um veículo para outro. Entretanto, algumas dicas podem ajudar na troca da peça, veja só alguns passos importantes:

  • Troque os parafusos que seguram a peça por novos e, antes de fixá-los no local, lubrifique-os. 
  • Faça a limpeza do bloco do motor com o auxílio de uma espátula. 
  • Com um jato de ar comprimido, retire as impurezas do bloco do motor. 
  • Analise o serviço de retífica, conferindo a planicidade e rugosidade do local que receberá a junta do cabeçote. 
  • Garanta que a montagem da junta esteja alinhada com as furações contidas no bloco do motor. 
  • Aperte os parafusos com o torque que foi especificado pelo fabricante do veículo. 

Em muitos casos, só a troca da junta do cabeçote queimada por uma nova já é suficiente para resolver o problema. Mas, em alguns casos mais graves pode ser necessário fazer a retífica do cabeçote. 

Nesses casos, tanto a junta quanto o cabeçote podem apresentar danos. Por isso, é preciso remover o cabeçote para analisar a planicidade dessa peça. 

Aprenda mais com a Escola do Mecânico

Como você pode ver, é preciso conhecimento técnico para realizar um bom trabalho e saber informar o cliente sobre possíveis problemas com o veículo. Por isso é importante investir em um bom curso de mecânica. 

Além de ficar por dentro de todas as técnicas e ferramentas necessárias para trabalhar na oficina, um bom curso também ajudará a conquistar mais clientes e a aumentar o faturamento do seu negócio.

Então, conte com a Escola do Mecânico! Clique aqui e conheça mais sobre nossos cursos.