O cliente chegou com o carro em péssimo estado, precisando de vários consertos e os serviços da oficina vão ficar caros. Ele foi pego de surpresa e não tem como pagar, o dono da oficina fica com pena e acaba aceitando vender fiado para garantir o cliente. Você com certeza já viu essa história antes, não é? Neste post, vamos explicar sobre por que vender fiado na oficina mecânica é prejudicial para o seu negócio, apesar de ainda ser algo muito comum por todo o país.

Vamos conversar também sobre como evitar dores de cabeça de maneira prática e como cobrar os clientes. Boa leitura! 

Foto de mecânico que não quer mais vender fiado em sua oficina mecânica

Por que vender fiado na oficina mecânica é um risco?

Quando o dono da oficina aceita fazer o serviço fiado, é ela que arca com o prejuízo. O dinheiro para pagar as peças compradas e o material usado no serviço vão sair da conta da sua empresa.

Por isso, vender fiado na oficina mecânica é arriscado: se você tiver a necessidade de repor uma ferramenta cara ou tiver algum gasto extra na oficina, o seu caixa pode estar esvaziado. Ou seja, a inadimplência é um problema sério para o financeiro do seu negócio, principalmente no caso de imprevistos.

Além disso, tirar das suas próprias reservas para vender fiado pode acabar gastando o dinheiro que é necessário para pagar um mecânico, o aluguel do espaço da oficina e outras contas do seu negócio. E o pior: se o cliente não pagar nunca mais o serviço, você terá que assumir esse custo de maneira definitiva!

É importante entender que enquanto são realizados serviços da oficina para um cliente que não vai pagar, o mecânico fica ocupado e deixa de focar em outros trabalhos, de clientes que pagam em dia. Ou seja, você está literalmente perdendo dinheiro!

5 dicas para parar de vender fiado na oficina mecânica

Vamos a um passo a passo sobre como prevenir as dores de cabeça? Aqui estão algumas sugestões para garantir que o dono da oficina não precise vender fiado.

1. Analise o cliente antes de aceitar o trabalho

Quando o carro for deixado na oficina para fazer a análise, aproveite também para consultar o CPF do cliente no SERASA ou SPC. Se ele estiver endividado, vale pensar duas vezes antes de aceitar fazer os serviços da oficina, afinal, existe o risco de levar calote.

Não sabe como negar o serviço? Não é preciso causar constrangimento: você pode só dizer que no momento não consegue pegar esse conserto e que o ideal para o cliente seria procurar outro negócio que possa resolver o seu problema.

2. Aprove o orçamento com o cliente por escrito

Uma maneira de deixar registrado que não será realizado o fiado na oficina mecânica é ter um documento detalhando o orçamento do serviço: quais peças terão de ser compradas, quais materiais serão usados, quanto custa a mão de obra e qual é o custo final para o cliente.

É necessário que esse documento seja apresentado ao cliente antes mesmo do serviço ser iniciado ou qualquer peça comprada. Ele deve ter também uma explicação sobre quais são as possíveis formas de pagamento para o valor orçado. O cliente deve assinar, concordando com o custo e se comprometendo a pagar.

Parece antiquado, eu sei. Uma ligação ou uma mensagem rápida seriam mesmo mais simples, mas dessa forma você não dá a chance de o cliente dizer que não sabia sobre o preço ou as condições de pagamento. Guarde este documento para poder cobrá-lo no futuro.

3. Não tenha vergonha de pedir um adiantamento

Sabe aquele serviço caro, no qual você vai praticamente refazer o carro da pessoa de tanto trabalho que dá e de tantas peças que precisam ser repostas? Pois é, agora imagine o tamanho do prejuízo se, depois de todas as peças compradas e horas de trabalho do mecânico empregadas nesse serviço, o cliente diz que não tem como pagar.

Se for preciso negar serviços da oficina a outros clientes para se concentrar neste ou se o valor for muito alto para o seu negócio assumir a conta, é necessário pedir um adiantamento de pelo menos uns 30 ou 40% do total, para minimizar os danos por via das dúvidas.

4. Ofereça facilidade no pagamento

Para reduzir a necessidade de vender fiado, uma boa ideia é aceitar diversas bandeiras de cartão de crédito, permitir que os valores sejam divididos em mais de um cartão, oferecer chances de parcelamento, tudo que facilite para que os clientes encontrem maneiras de pagar.

Já se o cliente não tiver cartão de crédito, vale também oferecer desconto nos pagamentos à vista, seja em dinheiro, via boleto bancário ou PIX.

Seja através de cartão de crédito ou não, deixe sempre as possibilidades de pagamento bem visíveis no seu negócio e nos seus canais de comunicação. Adicione também uma observação de que não será possível vender fiado na oficina mecânica.

5. Seja firme

Se apesar de todos os seus outros esforços, as dores de cabeça por vender fiado permanecerem, não tem jeito: é preciso saber dizer não. Afinal, é a segurança financeira e o futuro do seu negócio que estão na reta.

E essa postura vale para familiares, amigos, pessoas que vieram indicadas por clientes e até para clientes antigos. Lembre-se daquela frase: amigos, amigos… Negócios à parte!

A oficina tomou um calote. E agora, como fazer a cobrança de clientes inadimplentes?

Como entrar em contato

Ok, você vendeu fiado na oficina mecânica, deu errado e é hora de cobrar. O importante aqui é se lembrar de manter a calma e a educação, falando sobre o assunto de forma que não cause constrangimento e sem fazer ameaças.

Se você se mostrar educado e compreensivo, o contato tem mais chances de dar certo e realmente resolver as dores de cabeça causadas e diminuir o desconforto do assunto.

Esteja aberto a negociar

O que é necessário agora é resolver o problema: garantir que você receba pelo trabalho realizado, ainda que seja no longo prazo, certo? 

Por isso, se o dono da oficina sentir que o cliente realmente está com dificuldades financeiras, pode ser uma boa ideia oferecer condições especiais para sanar a sua dívida. Essa atitude ainda pode ajudar a fidelizar o cliente, já que ele vai sentir gratidão pelo tratamento diferenciado recebido em um momento de aperto.

E se o problema ficar sério?

O cliente está fugindo dos contatos? Então, a solução provavelmente será na justiça. Antes de tomar qualquer atitude, o primeiro passo é avisar o cliente de que irá acionar um advogado ou órgãos como o SERASA para cobrar pelos serviços da oficina que foram prestados.

Em seguida, reúna a documentação que comprove o acordo de orçamento feito com o cliente, a forma de pagamento escolhida por ele (cartão de crédito parcelado, boleto bancário, etc.) e que o serviço foi realizado.

Por fim, procure um advogado de confiança para iniciar uma ação judicial em nome da sua empresa.

Esse post sobre vender fiado na oficina mecânica foi útil para você? Então, aproveite para ler também o nosso artigo com 5 dicas de pós-venda, para aprender como fidelizar os clientes e criar um relacionamento mais profundo, fazendo com que voltem sempre ao seu negócio.

E só mais uma última coisinha! Caso você ainda não saiba, a Escola do Mecânico tem uma parceria inédita com o Sebrae para trazer a todos os nossos alunos e ex-alunos do Estado de São Paulo um curso incrível de gestão de oficinas. É o Empreenda Rápido, o maior programa de empreendedorismo do Brasil! Essa é uma boa maneira para você aprender mais sobre este assunto e evitar problemas como o fiado em sua oficina mecânica.

Se você ficou interessado e quer saber mais sobre o Empreenda Rápido, é só clicar aqui.