Obrigatório no Brasil em todos os carros fabricados desde de janeiro de 2014, o freio ABS é um sistema inteligente que impede o travamento das rodas quando o pedal do freio é acionado. 

Embora seja um sistema robusto e confiável, não pode ser esquecido na hora da revisão. Por isso, é essencial que profissionais que queiram atuar no ramo da mecânica saibam realizar esse tipo de manutenção. 

Abaixo, vamos falar um pouco mais sobre os freios ABS. Confira! 

Como funciona o freio ABS? Entenda!

Afinal, o que é o freio ABS?

Como falamos anteriormente, a função do freio ABS (Anti lock Braking System) é impedir o travamento das rodas durante o processo de frenagem. Por ser um dos tipos de freio que garante mais segurança, ele passou a ser obrigatório em todos os veículos desde 2014. 

Isso porque permite que o motorista mantenha o carro sob controle, mesmo em manobras ou quando o freio é acionado bruscamente. 

Outra vantagem é que ele garante maior estabilidade em qualquer tipo de piso, mesmo com baixa aderência como é o caso de areia, grama ou asfalto molhado. Dessa forma, é capaz de evitar que o carro deslize ou derrape.

Além disso, essa característica também permite que o motorista gire o volante e desvie de obstáculos sem perder o controle do veículo, enquanto o sistema ABS atua para frear o carro. 

Para isso, o freio ABS conta com sensores nas quatro rodas que informam, em milésimos de segundo, se uma delas está começando a travar. Dessa forma, o módulo eletrônico avalia a informação e aciona as duas eletroválvulas dessa roda, que aliviam a pressão do fluido por um instante. Em seguida, voltam a aplicar toda a força. 

Devido a segurança oferecida, os freios ABS passaram a atuar de forma integrada com outros  tipos de sistema eletrônico do veículo, como as tecnologias EBD (Electronic Brake Distribution ou Distribuição Eletrônica de Frenagem) ESP (Electronic Stability Program ou Programa Eletrônico de Estabilidade), Hill Holder e até dispositivos semiautomáticos. 

Hoje, as peças desse sistema podem ser encontradas em diversas partes do veículo. Por isso, é importante que o mecânico se especialize nesse tipo de manutenção para atender às necessidades de cada cliente. 

Abaixo, vamos explicar um pouco mais sobre as peças que compõem esse sistema de freios antitravamento. Veja só!

Rodas fônicas

Geralmente, essas peças estão acopladas a outros componentes do carro, como os cubos da roda, rolamentos, retentores, juntas homocinéticas, caixa do diferencial, entre outras. Na maioria das vezes, possuem forma de um anel dentado ou de um disco magnético. 

Sensores de velocidade

Essas peças estão presentes em todas as rodas do veículo ou no centro do diferencial. Isso porque são responsáveis pela leitura das informações geradas pelas rodas fônicas. A partir disso, o módulo eletrônico detecta o início do travamento e aciona o sistema de freio ABS

Unidade hidráulica

Geralmente localizada no cofre do motor, essa unidade é composta por uma bomba eletro-hidráulica, câmara acumuladora e válvulas solenoides. Cada uma dessas peças possui uma função importante em relação ao fluido do freio. 

Enquanto a bomba eletro-hidráulica pressuriza novamente o fluido do freio ABS após entrar em ação, as válvulas solenoides são responsáveis pelo controle da pressão do fluido em cada roda. Já a câmara acumuladora é um local onde o fluido fica até ser pressurizado. 

Cilindro mestre

O cilindro mestre dos carros que possuem sistema ABS é diferente dos modelos sem essa tecnologia. Por isso, a manutenção errada dessa peça pode comprometer a frenagem.

Módulo eletrônico

O microprocessador do módulo eletrônico controla a ação de todos os componentes, evitando o travamento e proporcionando a melhor frenagem. Essa peça também é responsável por alertar quando há algum defeito no sistema. 

Cuidados na manutenção do ABS

As peças do freio ABS podem ser encontradas em diversas partes do veículo. Por isso, é importante conhecer o funcionamento desse sistema para realizar a manutenção. 

Para começar, o fluido de freio merece atenção especial. Isso porque se estiver velho ou com a especificação errada, poderá danificar a unidade hidráulica. Além disso, a troca de pastilhas também é essencial nesse tipo de freio, já que pode danificar vários componentes. 

Aqui, é importante ressaltar que o ABS é um recurso adicional de segurança que impede o travamento da roda. Então, mesmo quando há algum problema no sistema, os freios do veículo continuam funcionando normalmente. 

Quando há algo de errado com o freio ABS, alguns sinais podem ser apontados pelo veículo. Veja só quais são os mais comuns:

#1 Trepidação nos pedais

Uma situação bastante comum quando há algo errado com os freios é a trepidação do pedal quando o freio é acionado. Isso pode acontecer devido ao empenamento do disco, que não deve ser maior do que 0,1 milímetro. 

Os cubos das rodas também podem causar trepidações. Nesses casos, empenos maiores do que 0,4 milímetro podem ser suficientes para causar alterações no comportamento do sistema. 

Nesses casos, é preciso contar com um relógio comparador calibrado e sua base magnética para realizar uma avaliação. Na montagem, o equipamento deve ficar perpendicular com a superfície do disco ou cubo. Além disso, é importante fazer a verificação em todas as rodas que usam esse sistema. 

#2 Barulhos na frenagem

Quando o sistema ABS apresenta barulhos ao acionar os freios, é muito provável que todo o sistema precise passar por uma verificação. Muitas vezes, esse problema é causado por um desgaste das pastilhas, e pode ser facilmente identificado pelo ruído metálico característico. 

Nesses casos, basta trocar os componentes. No entanto, lembre-se de avaliar as condições dos discos também, para determinar a necessidade de substituição. 

Para trocar as pastilhas em veículos com freio ABS é preciso abrir os sangradores das pinças antes de recolher os êmbolos. Em alguns modelos, também é preciso usar um scanner para retornar os fusos internos. 

#3 Problemas eletroeletrônicos 

Como o freio ABS é alimentado pelo sistema elétrico do veículo e muitos componentes acabam ficando expostos, é comum surgirem problemas nos cabos ou interferências eletromagnéticas.

Caso o problema não esteja visível é necessário utilizar um scanner para fazer a checagem precisa de todo o sistema.

#4 Acúmulo de resíduos 

Nem todos os problemas envolvendo os freios ABS necessitam de troca de componentes para serem solucionados. Isso porque, muitas vezes, a falha pode ser causada pelo acúmulo de resíduos, que pode prejudicar todo o funcionamento do sistema. 

Essa situação pode acontecer devido às chuvas ou até mesmo pela falta de acionamento do sistema durante um longo período. Nesses casos, é preciso realizar uma limpeza nos sensores, rodas fônicas e válvulas solenoides.

#5 Defeito nos sensores

Esse sistema antitravamento precisa que os sensores enviem informações corretas para atuar de forma precisa e segura. Por isso, quando os sensores estão com problemas, a central eletrônica não consegue enviar os comandos para o módulo hidráulico, comprometendo o funcionamento do freio ABS. 

Por isso, é fundamental checar o funcionamento dessas peças para que o sistema atue corretamente. Na hora de realizar a instalação desses componentes, verifique se a distância entre os sensores e todas as rodas fônicas está correta. 

Se esses diagnósticos não forem suficientes para encontrar o problema no freio ABS, realize um teste de rodagem com o veículo. Afinal, enquanto o veículo roda, fica mais fácil analisar a presença de problemas ou situações anormais. 

Além disso, o teste de rodagem permite avaliar a eficiência da frenagem e verificar se aparece algum alerta no painel. Inclusive, você pode aproveitar para realizar uma avaliação completa de todos os componentes que garantem o funcionamento do veículo. 

Conte com a Escola do Mecânico para aprender mais

Com o avanço tecnológico no mercado automotivo é de extrema importância que os profissionais que queiram atuar nesse setor busquem cursos e especializações. Afinal, é preciso conhecer os novos sistemas e peças que compõem os veículos para realizar uma boa manutenção, como é o caso dos freios ABS (Anti lock Braking System)

Então, se você deseja ingressar nesse setor, conheça a Escola do Mecânico! Aqui, você encontra diversos cursos profissionalizantes e se prepara para atuar em diversas áreas da mecânica. 

Com aulas teóricas e práticas, você aprende todas as técnicas com simulações de situações que ocorrem no dia a dia de uma oficina. Assim, você entra no mercado de trabalho mais preparado e seguro para realizar os serviços. Clique aqui e conheça mais sobre os nossos cursos!